↑ Voltar para Mysticeti

Balaenopteridae

Os membros da família Balaenopteridae caracterizam-se por apresentarem um corpo comprido e esguio e pregas ventrais que se estendem da parte inferior da boca até pouco depois do umbigo. São popularmente conhecidas como rorquais. Como representantes temos as baleias azul, fin, sei,bryde, minke, minke antártica e jubarte, todas com registros de ocorrência na costa brasileira.

 Balaenoptera musculus (Baleia azul)

Características Físicas

A baleia azul é o maior animal vivo sobre a superfície da Terra, e talvez o maior de todos os tempos. Esta espécie pode atingir até 33,6m de comprimento e pesar mais de 140t. Seu corpo é comprido e esguio de coloração cinza-azulada. A cabeça é chata e pontiaguda e possui uma única quilha central que se estende do orifício respiratório até o extremo da cabeça. A nadadeira dorsal é muito pequena em relação ao comprimento total do animal, localizando-se após a metade do dorso, próximo a nadadeira caudal. As nadadeiras peitorais são pontudas e a caudal é triangular e larga, com as bordas lisas e uma reentrância central definida. Esta espécie possui de 260 a 400 pares de barbatanas relativamente pequenas e de coloração preta. Os machos são ligeiramente menores que as fêmeas, atingindo quando adultos cerca de 30m em média. As fêmeas podem chegar a 33m. O borrifo é vertical podendo atingir mais de 8m de altura.

Distribuição geográfica e hábitat

As baleias azuis são cosmopolitas, sendo encontradas em todos os oceanos do mundo, desde o equador até as regiões polares dos dois hemisférios. Esta espécie realiza migração, percorrendo enormes distâncias entre as áreas de alimentação localizadas em regiões polares, e as áreas de reprodução e cuidado de filhotes nas baixas latitudes.

A distribuição desta espécie ocorre basicamente ao longo da borda da plataforma continental e próximo às geleiras nas regiões polares, mas a baleia azul pode aventurar-se ocasionalmente em zonas oceânicas e costeiras.

Links externos

Arkive

Encyclopedia of Life

World Register of Marine Species – WoRMS

Society for Marine Mammalogy – taxonomia

Mapa de distribuição globa da espécie

Balaenoptera edeni (Baleia-de-bryde)

Características Físicas

Os representantes desta espécie apresentam coloração cinza-escura no dorso e cinza ou branco no ventre, corpo esguio e cabeça larga e plana.  A característica distintiva desta espécie, utilizada para diferenciá-la dos demais rorquais são as três quilhas proeminentes que possui sobre a cabeça.A baleia-de-bryde possui de 250 a 370 pares de barbatanas escuras, com comprimento entre 45 e 60 cm. A nadadeira dorsal é ereta e extremamente falcada, situando-se próximo à nadadeira caudal. As nadadeiras peitorais são relativamente pequenas, estreitas e pontudas. A nadadeira caudal é larga, triangular e possui uma reentrância central bem definida. O comprimento médio dos machos adultos é de 13,7 m e o das fêmeas 14,5 m. Os adultos desta espécie podem atingir até 25 t em peso.  O borrifo da baleia-de-bryde atinge cerca de 4m de altura e tem forma de coluna.

Distribuição geográfica e hábitat

As baleias-de-bryde ocorrem em águas tropicais e subtropicais de todos os oceanos, raramente acima de latitudes de 35o. Aparentemente preferem águas aquecidas, com temperaturas acima de 20o C, podendo ocorrer tanto em águas costeiras como em águas oceânicas. É a única espécie da família que não realiza longas migrações, podendo permanecer na mesma região durante todo o ano. Seus deslocamentos geralmente têm ligação com a abundância de presas para sua alimentação.

Links externos

Arkive

Encyclopedia of Life

World Register of Marine Species – WoRMS

Mapa de distribuição global da espécie

 Balaenoptera physalus (Baleia fin)

Características Físicas

 A baleia fin apresenta um corpo esguio e extremamente hidrodinâmico, de coloração cinza-escuro no dorso e branca na região da barriga. A parte inferior das nadadeiras peitorais e caudal também é branca e uma mancha esbranquiçada na parte posterior da cabeça, atrás do orifício respiratório, pode ocorrer. O dorso é bastante afilado entre a nadadeira dorsal e a nadadeira caudal e quando vista de cima, a cabeça tem formato de V, apresentando uma proeminente quilha central. É a segunda maior espécie de baleia, chegando a medir mais de 26m. O comprimento médio dos machos varia de 22m no Hemisfério Norte a 25m no Hemisfério Sul, e o das fêmeas, vinte e quatro metros no Hemisfério Norte e 27m no Hemisfério Sul. O peso médio dos representantes desta espécie varia de 45 a 75t, podendo chegar até a 120t. A nadadeira dorsal é ligeiramentefalcada podendo ter mais de 60cm de altura e localiza-se próximo à nadadeira caudal, geralmente a uma distância equivalente a um terço do comprimento total do animal. A nadadeira caudal tem forma triangular, com as bordas lisas e uma reentrância central definida, e não é visível quando o animal inicia o mergulho. Esta espécie possui de 260 a 480 pares de barbatanas de coloração acinzentada ou esbranquiçada, que podem alcançar até 90cm de altura e 30cm de largura. O borrifo tem forma de cone vertical, lembrando uma coluna e pode atingir de 4 a mais de 6m de altura.

 Distribuição geográfica e hábitat

Espécie cosmopolita, mas de ocorrência menos freqüente em águas tropicais do que em águas temperadas, árticas e antárticas. Realiza migrações alimentando-se no verão nas altas latitudes e utilizando as regiões temperadas e tropicais para reprodução e cria durante o inverno. É uma espécie pelágica, raramente avistada em águas costeiras.

Links externos

Arkive

Encyclopedia of Life

World Register of Marine Species – WoRMS

Society for Marine Mammalogy – taxonomia

Mapa de distribuição global da espécie

  Balaenoptera acutorostrata (Baleia minke anã)

Características Físicas

 A baleia minke anã não apresenta um status taxonômico reconhecido sendo largamente considerada uma subespécie da baleia minkede ocorrência exclusiva no Hemisfério Sul. É semelhante a outras espécies de minke, mas como o próprio nome diz, atinge um pequeno tamanho corporal. De fato é o menor dos balenopterídeos, apresentando um comprimento máximo de 7,8m e pesando cerca de 6,4t. Apresenta um corpo esguio e a cabeça muito estreita e pontiaguda com apenas uma quilha central. O corpo tem o dorso preto ou cinza-escuro e o ventre branco. As nadadeiras peitorais, pequenas e pontiagudas, apresentam uma mancha branca, uma característica típica da espécie. A nadadeira dorsal é relativamente alta e falcada, situando-se próximo à cauda. Esta espécie não eleva a nadadeira caudal ao mergulhar e o borrifo é raramente visível. Esta espécie possui de 200 a 300 pares de barbatanas de coloração esbranquiçada, algumas apresentando uma estreita borda escura.

 Distribuição geográfica e hábitat

A baleia minke anã é encontrada apenas no Hemisfério Sul, principalmente em baixas e médias latitudes.  Sua distribuição parece ser circumpolar, com avistagens registradas na Austrália, América do Sul e África do Sul.

Links externos

Arkive

Encyclopedia of Life

World Register of Marine Species – WoRMS

Society for Marine Mammalogy – taxonomia

Mapa de distribuição global da espécie

 Balaenoptera bonaerensis (Baleia minke antártica)

Características Físicas

 Como a baleia minke comum, a baleia minke antártica tem um corpo esguio e pequeno apresentando um comprimento máximo de 10,7m e pesando cerca de 9,1t. A cabeça também é estreita e pontiaguda com apenas uma quilha central. O corpo tem coloração preta ou cinza-escura no dorso e branca no ventre. As nadadeiras peitorais são de coloração cinza, às vezes apresentando uma mancha branca. A nadadeira dorsal é relativamente alta e falcada, situando-se próximo à cauda. Esta espécie não eleva a nadadeira caudal ao mergulhar e o borrifo é raramente visível. Esta espécie possui de 200 a 300 pares de barbatanas de coloração assimétrica, com um maior número de barbatanas esbranquiçadas do lado direito do corpo, sendo as restantes, de coloração escura.

 Distribuição geográfica e hábitat

A baleia minke antártica tem uma distribuição circumpolar no Hemisfério Sul. Passam o verão se alimentando nas águas ao redor da Antártica e deslocam-se no inverno para áreas entre os 7o e 35o de latitude, ocasionalmente alcançando o equador.

Links externos

Arkive

Encyclopedia of Life

World Register of Marine Species – WoRMS

Society for Marine Mammalogy – taxonomia

Mapa de distribuição global da espécie

 Balaenoptera borealis (Baleia sei)

Características Físicas

 A mais rápida de todas as grandes baleias, a baleia sei tem o corpo grande e esguio, de coloraçãocinza-escura no dorso e branca ou creme no ventre. Cicatrizes ovais causadas por mordidas de tubarões cookie-cutter frequentemente cobrem o corpo. No alto da cabeça há apenas um quilha central. As fêmeas adultas alcançam cerca de 19,5m e os machos são levemente menores que as fêmeas. Em peso, atingem aproximadamente 45t. A nadadeira dorsal é grande, proeminente e geralmente muitofalcada, situando-se próximo a cauda. Esta espécie também não eleva a nadadeira caudal ao mergulhar e o borrifo é alto e colunar. Esta espécie possui cerca de 300 a 410 pares de barbatanas de coloração cinza-escura ou preta, com uma fina franja branca interna.

 Distribuição geográfica e hábitat

De distribuição global, ocorrendo desde latitudes tropicais e subtropicais até altas latitudes, a baleia sei habita águas oceânicas e de plataforma continental. Realizam movimentos sazonais entre altas latitudes no verão e águas tropicais no inverno. Esta espécie é conhecida mundialmente pelas ocorrências imprevisíveis. Uma súbita ocorrência numa determinada área pode ser seguida pelo desaparecimento e subsequente ausência por anos ou mesmo décadas.

Links externos

Arkive

Encyclopedia of Life

World Register of Marine Species – WoRMS

Mapa de distribuição global da espécie

 Megaptera novaeangliae (Baleia jubarte)

Características Físicas

 A mais familiar de todas as grandes baleias, é conhecida principalmente pela diversidade de repertórios comportamentais acrobáticos que executa e padrões de canto. É a espécie de balenopterídeo mais bem estudada devido ao fato de que os indivíduos podem ser facilmente identificados pelo padrão de marcas naturais. Esta espécie tem um corpo grande e robusto de coloração negra no dorso e branca no ventre. A cabeça e a maxila inferior contem um número variável de protuberâncias denominadas tubérculos. As barbatanas, em número de 270 a 400 de cada lado das maxilas, são todas pretas.  As fêmeas adultas alcançam entre 16 e 17m de comprimento corporal e os machos são levemente menores que as fêmeas. Em peso, atingem aproximadamente 40t. As nadadeiras peitorais, longas e estreitas, têm aproximadamente um terço do tamanho do corpo, sendo de coloração branca na porção ventral. O padrão de coloração dorsal varia entre os exemplares do Pacífico Norte e os do Atlântico Norte e Hemisfério Sul. Os primeiros têm o dorso das nadadeiras peitorais negros em sua maior parte e os últimos tem o dorso das nadadeiras peitorais quase todo branco.A nadadeira dorsal, localizada sobre uma corcova, visível quando o animal arqueia o corpo ao mergulhar, é altamente variável, frequentemente portando cicatrizes. As nadadeiras caudais são negras no dorso e exibem um padrão altamente variável no ventre, utilizado para identificar os indivíduos. Suas margens traseiras são serrilhadas. Enquanto mergulham, elevam frequentemente suas nadadeiras caudais. O borrifo das baleias jubartes também é colunar, sendo menor e mais volumoso do que o das demais rorquais.

 Distribuição geográfica e hábitat

As baleias jubartes são encontradas em todos os principais oceanos. Ocorrem principalmente em águas costeiras e de plataforma continental, embora sejam conhecidas por se alimentarem ao redor de montes submarinos e realizarem movimentos migratórios em águas de grande profundidade de assoalho oceânico.  Esta espécie é altamente migratória, alimentando-se durante o verão em médias e altas latitudes e utilizando águas tropicais e subtropicais ao redor de ilhas e recifes de coral durante o inverno para acasalamento e cuidado dos filhotes.

Links externos

Arkive

Encyclopedia of Life

World Register of Marine Species – WoRMS

Society for Marine Mammalogy – taxonomia

Mapa de distribuição global da espécie